2014

Sempre fui um pouco reticente às resoluções de ano novo. Mas este ano, dei por mim a resumir mentalmente os acontecimentos deste ano. Tive bastantes dificuldades… Aconteceu tanta coisa que nem a minha memória conseguiu acompanhar ( pior ainda porque ele é pouca). Algumas coisas boas, outras más, outras que ainda nem chegaram ao final. É mesmo por a vida não fazer o saldo ao final do ano que eu sempre achei a ideia de resoluções um pouco sem sentido. Sempre achei, e acho, que as resoluções devem ser feitas ao longo do ano. No entanto, confesso que me perdi um pouco nas minhas ideologias.

Cheguei a um ponto em que me limitei a correr atrás do tempo, sem pensar na corrente que me levava ou naquilo que me moldava. Correr, sem fim, sem parar para apreciar o caminho. Até que acabas por te esquecer como esta bola de neve começou, porque fazes o que fazes ou até mesmo uma parte daquilo que és. 

Por esta razão este é o meu ano de resoluções. Ás vezes precisamos de um empurrãozinho para mudar, para remar contra a maré. 

Primeira resolução : Fazer resoluções durante o ano! 

A segunda foi tirar onpó deste blog. Coitado..

Anúncios

T: As tuas cartas são muito antigas?

I: Não sei, porquê?

T: Têm reis.. Os reis não eram de antigamente?

Fazer anos em Dezembro é estranho. A realidade de estar um ano mais velha só cai em mim umas semanas depois.

Bem..Competir com o aniversário de Jesus é uma missão inglória.